Noticías do Brésil

I- RENOVAÇÃO DA VIDA MONÁSTICA NO MOSTEIRO DE AASEBAKKEN

No dia 8 de dezembro de 2009, cinco monjas beneditinas da Abadia de Campos do Jordão (Brasil) reiniciaram a vida monástica no Priorado de Nossa Senhora de Åsebakken – em dinamarquês: «Vor Frue Kloster» – sito a 25 km ao norte de Copenhague (Dinamarca).

Primeiro mosteiro de monjas contemplativas católicas na Dinamarca depois da Reforma protestante, foi fundado em Copenhague, em 1914, por monjas da Adoração Perpétua, provenientes do mosteiro de Innsbruck (Áustria). Tendo-se tornado mosteiro beneditino em 1936, com a ajuda de monjas da Abadia de Frauenchiemsee (Alemanha), a comunidade mudou-se para Åsebakken em 1942. Em 1948, a convite do Arcebispo de Uberaba, cinco monjas dinamarquesas e suecas partiram para o Brasil, onde fundaram a abadia de Nossa Senhora da Glória; esta, por sua vez, fundou, em 1964, a abadia de São João, em Campos do Jordão, uma e outra pertencentes à Congregação Brasileira Em 1988, o Priorado Conventual de Åsebakken foi incorporado à Congregação de Beuron.

bresilDesde 2006, três monjas de Campos do Jordão, a convite da Prioresa de Åsebakken, se encontravam lá ajudando as três últimas monjas dinamarquesas já muito idosas. Devido à falta de vocações e sem muita perspectiva de futuro, em dezembro de 2008, Dom Albert Schmidt, OSB, Abade Presidente da Congregação de Beuron, escreveu a Madre Myriam de Castro, OSB, Abadessa de Campos do Jordão, expondo a situação de Åsebakken e lhe perguntando sobre a possibilidade de enviar monjas para ajudar a comunidade quase em extinção. No intuito de fazer reviver a única comunidade beneditina na Dinamarca – há também uma Abadia de monjas cistercienses muito florescente, em Sostrup – a comunidade jordanense, de bom grado e com grande alegria, aceitou este pedido de prestar ajuda a suas Irmãs dinamarquesas. Em julho de 2009, o Abade Presidente da Congregação de Beuron veio ao Brasil para estabelecer com a Abadessa de Campos do Jordão as condições em que esta ajuda fraterna se tornaria concreta.

Por razões práticas, Madre Tyra Antonia Andersen, OSB, Abadessa de Mariavall, em Tomelilla (Suécia), embora continuando Abadessa de seu mosteiro, foi nomeada Prioresa de Åsebaken por três anos, contando com a colaboração de uma Subprioresa brasileira. As cinco monjas brasileiras passam no momento por um período de conhecimento da história e da cultura dinamarquesas, bem como de aprendizado da língua do país. O mosteiro é um lugar de peregrinação marial nacional, pois, em sua igreja conventual é venerada a imagem de Nossa Senhora de Åsebaken, padroeira da Dinamarca.


II- MONGES NOMEADOS ARCEBISPOS NO BRASIL

domoraniNo dia 27 de fevereiro de 2009, o Santo Padre Bento XVI nomeou Dom Orani João Tempesta, O.Cist., Arcebispo Metropolitano do Rio de Janeiro. Natural de São José do Rio Pardo, fez sua profissão monástica na Abadia Cisterciense de Nossa Senhora de São Bernardo, em sua cidade natal, e foi seu primeiro Abade. Ordenado Bispo em 25 de abril de 1997, para a Diocese de São José do Rio Preto, foi em outubro de 2004 promovido a Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará, onde esteve até sua transferência para o Rio de Janeiro. Sua posse canônica n Catedral de São Sebastião aconteceu no Domingo da Divina Misericórdia, 19 de abril de 2009.

mgrsaburidoTambém no dia 1º de julho deste ano, foi nomeado Arcebispo Metropolitano de Olinda e Recife, Dom Antônio Fernando Saburido, OSB. Nascido em Cabo de Santo Agostinho, nas proximidades de Recife, ingressou na Abadia de São Bento de Olinda onde professou como monge beneditino e foi ordenado sacerdote por seu ilustre predecessor, Dom Hélder Câmara, então Arcebispo. Recebeu a ordenação episcopal como Bispo Auxiliar de Olinda e Recife em 20 de agosto de 2000. Em maio de 2005, foi transferido para a Diocese de Sobral onde permaneceu até sua nova transferência para Olinda e Recife. Sua posse canônica foi no dia 16 de agosto de 2009.